10 maneiras para melhorar seu desempenho no Jiu-Jitsu

Entre uma técnica e outra, trouxemos aqui neste artigo conselhos úteis para quem deseja se aproximar da essência da arte suave, e construir um jogo sólido, básico, eficiente e com melhor desempenho no Jiu Jitsu – técnicas para serem usadas dos 8 aos 80 anos.

1 – Alimentação Regrada

Inicialmente e, por um bom tempo, o Grão-Mestre Carlos Gracie percebia que faltava uma “peça” importante para melhorar e tornar o condicionamento físico mais sólido e consistente na produção de resultados, foi então que passou a considerar a “nutrição” como base da pirâmide conceitual do Jiu Jitsu, estabelecendo a famosa “Dieta Gracie” que consiste basicamente em dieta vinculada ao Jiu Jitsu.

A alimentação apropriada e balanceada a rotina de treinos permite não somente performance no momento dos “rolas” mas também uma ótima recuperação pós treino e a garantia de bons indicativos de saúde.

Por que fazer a dieta Gracie?

É verdade que as combinações de comidas são complicadas no início e você pode demorar a aprendê-las. Se você costuma lanchar, então é provável que sinta fome entre as refeições na fase inicial. Entretanto, uma vez que você aprende as combinações e as porções corretas, ela é uma dieta fácil de seguir. Ela também ajuda você a eliminar os lanches desnecessários e sobremesas, e também a fazer escolhas mais conscientes na hora de montar seu prato.

2 – Priorize A Técnica

O Jiu Jitsu faz uso de várias habilidades esportivas como ferramenta para aprimorar seu condicionamento físico, como drills e saídas de quadril. A primeira necessidade vem de ter uma boa mecânica, buscar uma boa execução não importa o tempo que se faça necessário pra isso. Movimentar-se de forma adequada e correta não apenas garante uma rotina longe de lesões como possibilita estar em constante desenvolvimento por se tornar possível aumentar a carga de rolas com segurança quando essa dica é atendida.

3 – Supere às expectativas

O tempo muda tudo na vida. Disponibilidade de horários, disposição física, fisiologia, aeróbico e até questões pessoais mesmo. Nós acreditamos que, em vez deles serem motivos para você parar, devem ser focados como estímulos para você continuar, mas dentro dos seus parâmetros. Só de estar lutando, já é uma vitória particular. Pense, olhe em volta e perceba como é bom estar no tatame, estar treinando, apesar de suas questões particulares. Estar treinando, suando o quimono, não é uma questão mais de vencer o outro, é uma questão de você vencer a si mesmo, se superar em suas próprias expectativas, vencer seus limites, seus medos, e continuar no meio da arte suave.

4 – Seja comprometido com todas etapas da aula

Jiujiteiros(as) mais antigos tendem a colocar mais atenção e energia somente no momento do rola, perdendo todas as etapas anteriores da aula principalmente na hora do aquecimento e da passagem de novas técnicas. A estrutura de uma aula é parte do seu plano de desenvolvimento, aquecer apropriadamente, mobilizar articulações e, principalmente fazer educativos são passos fundamentais para se manter em constante evolução.

É importante estar atento, concentrado e conectado ao treino desde os primeiros minutos.

5 – Atenção na hora das posições

As posições tem inúmeros pontos de performance, são exigências técnicas para manter segurança e uma boa execução. Toda explicação técnica passa por esses detalhes e é extremamente importante estar atento a eles e colocar toda a sua energia e concentração no momento da execução. Treinar, treinar e treinar. Aeróbico, explosão, resistência, sempre aprendendo novos movimentos, novas posições. São sempre aspectos presentes na vida de um lutador, e fatores de atenção de um professor em relação aos seus alunos. Mas, às vezes, os treinos não fluem como esperamos, o resultado em campeonatos não chega como desejamos, a graduação demora mais do que imaginamos. Independentemente da faixa, o desânimo pode bater.

6 – Domine prioritariamente os movimentos básicos

A maioria dos atletas (principalmente os faixas brancas) de Jiu Jitsu ficam deslumbrados com as habilidades mais complexas como alguns movimentos tipo “arm-lock voador” e algumas raspagens mirabolantes. É evidentemente que, conseguir realizá-las, é de fato um grande feito e causa muita satisfação mas toda construção precisa de uma boa fundação e no nosso treinamento é dominar a execução e obter força nos movimentos mais básicos: “o feijão com arroz do jiu jitsu,arm-lock da guarda, triangulo etc” eles serão a estrutura para fazer habilidades mais complexas com segurança e qualidade na execução.

7 – Seja assíduo e continuo

A maior dificuldade é manter a rotina por longos períodos. Manter-se constante nos bons e velhos hábitos por um longo período. CONTINUIDADE é um dos princípios do treinamento desportivo.

8 – Mantenha-se próximo ao seu professor

Seu desenvolvimento depende muito das conversas com seu professor, mesmo porque o professor precisa desses “feedbacks” pra fazer ajustes ao seu jogo. Apesar de termos disponíveis com facilidade tantas informações sobre treinamento é mais relevante obte-las da fonte de onde você treina. Entender a finalidade do trabalho de seu professor ajuda a ajustar seu comportamento de acordo com esses princípios. Existe uma lógica e coerência para cada ação em seu treinamento.

9 – Pense coletivamente

É extremamente importante o aspecto coletivo, treinar em grupo e agir em equipe. Esse é em definitivo o aspecto que torna o Jiu Jitsu tão especial e transformador. Fica claro que pra se tornar melhor é fundamental que seus parceiros de treino melhorem também!

10 – Nunca desista!

O importante é estar treinando. Você pode saber e ter consciência que não pode mais lutar como lutava antes, mas pense bem, o importante é estar treinando. Nós pensamos assim e temos os nossos parâmetros, nossas metas a serem alcançadas e o desejo sempre de serem ultrapassadas. Vencer os próprios limites ou medos é o melhor dos estímulos para o nosso Jiu-Jitsu. Nunca devemos abandonar os treinos por motivos que devem ser justamente um estímulo para treinarmos mais e mais, e assim vamos vencendo as nossas limitações.

TREINE, apesar das suas lesões, por vezes você por ser finalizado, mas o principal é estar treinando. Essa endorfina que um treino proporciona corre nas suas veias, independentemente se você venceu ou não. Ganhar sempre é bom, mas às vezes a vitória maior já é estar de quimono nos tatames. Treine, não pare. Seu professor sabe e imagina seu esforço em estar ali. As “guerras são particulares”. Desistir sempre é o caminho mais fácil. Mas e o Jiu-Jitsu, ficará aonde?

Sobre o autor: Lucas Oliveira
A arte suave pra mim é como poesia, alivia a alma, irradia como a luz do dia, renova as forças e faz do chão o começo de uma VITÓRIA!
%d blogueiros gostam disto: